Estão abertas as candidaturas para a 6.ª edição do Concurso Todos Contam.

As escolas podem submeter a concurso os seus projetos de educação financeira para o ano letivo de 2017/2018 até ao dia 13 de outubro de 2017, através do endereço eletrónico concurso@todoscontam.pt.

O Concurso Todos Contam distingue os melhores projetos de educação financeira a implementar nas escolas. É organizado pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros – Banco de Portugal, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões – e pelo Ministério da Educação, através da Direção-Geral da Educação e da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional.

A 6.ª edição do concurso dirige-se a projetos a serem implementados no ano letivo 2017/2018 em agrupamentos de escolas, escolas não agrupadas, estabelecimentos de ensino particulares e cooperativos e escolas profissionais que ministrem a educação pré-escolar e o ensino básico e secundário.

Prémios

Serão atribuídos cinco prémios, constituídos por livros e materiais escolares: um para a educação pré-escolar, um por cada um dos três ciclos do ensino básico e um para o ensino secundário.

Poderá também ser atribuído um prémio de continuidade para distinguir projetos plurianuais que tenham participado no Concurso Todos Contam ao longo de três edições consecutivas. 

A entrega dos prémios será faseada: metade do valor do prémio será atribuída após o anúncio oficial dos vencedores no Dia da Formação Financeira, a 31 de outubro de 2017, e outra metade após o final do ano letivo 2017/2018, mediante prova da efetiva implementação dos projetos.

Regulamento

O regulamento do Concurso Todos Contam pode ser consultado neste portal e nos sítios de Internet da Direção-Geral da Educação (www.dge.mec.pt) e da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (www.anqep.gov.pt).

Tendo por base o Referencial de Educação Financeira para a Educação Pré-Escolar, o Ensino Básico, o Ensino Secundário e a Educação e Formação de Adultos, os projetos candidatos devem sensibilizar os alunos para a importância dos conhecimentos financeiros no quotidiano, desenvolver conhecimentos e capacidades financeiras, promover comportamentos e atitudes financeiras adequados, criar hábitos de poupança e divulgar o portal do Plano Nacional de Formação Financeira – “Todos Contam”.

Os projetos devem reger-se pelos Princípios Orientadores das Iniciativas de Formação Financeira do Plano. Em particular, os projetos que incluam iniciativas desenvolvidas em parceria com instituições do setor financeiro, sem o enquadramento da respetiva associação setorial, não observam os Princípios Orientadores, sendo este um fator de exclusão do concurso.

A avaliação dos projetos a concurso terá em consideração a qualidade pedagógica e científica no desenvolvimento de temáticas do Referencial de Educação Financeira, a criatividade e a relevância, o envolvimento da comunidade escolar, a viabilidade e a exequibilidade e a utilização dos materiais e da informação disponíveis no portal Todos Contam.

Júri

O júri do Concurso Todos Contam é constituído por Isabel Alçada (que preside), por Maria Emília Brederode Santos, por Maria Amélia Cupertino de Miranda, pelo Diretor-Geral da Direção-Geral da Educação, José Vítor Pedroso, e pela vogal do conselho diretivo da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional Ana Cláudia Valente.